PrestaFlex

O Blog

09.11 2018

Como ter o seu pedido de crédito aprovado?

Como ter o seu pedido de crédito aprovado

Mesmo que a taxa de negação varie de um estabelecimento a outro e em função da clientela, considera-se que uma parte importante dos pedidos de crédito pessoal terminam por ser rejeitados. Quais são as principais razões para a rejeição de um crédito et como melhorar as chances de ter o seu pedido de crédito aprovado? Nossas explicações e conselhos.

Uma taxa de negação elevada

É difícil obter uma média da taxa de negação para pedidos de crédito privado. De fato, a taxa real poderá variar de um estabelecimento a outro em função da política de tratamento de pastas de cada um, mas também de acordo com o perfil da clientela. No entanto, considera-se que, na Suíça, a taxa média de negação de pedidos de crédito é alta:

  • De um lado, as pessoas em dificuldade financeira tendem a buscar um crédito privado na esperança de encontrar uma solução aos seus problemas.
  • Por outro lado, a lei suíça é muito estrita no que diz respeito ao pedido de crédito ao consumo, visando evitar o endividamento do consumidor.

As principais razões de negação

Cada situação é única, evidentemente, e existem muitas razões que podem levar a recusa de um dossiê. No entanto, algumas situações aparecem com maior frequência do que outras nos quadros de rejeição de um pedido de crédito. Entre os principais motivos de recusa, encontramos os elementos a seguir:

  • Orçamento: o cálculo do orçamento é um dos primeiros elementos que pode causar problema. Uma receita líquida de 2’900 Chf por mês é geralmente tida como mínima para ter o seu pedido de crédito aprovado. Em seguida, serão analisadas as despesas do requerente.
  • Antecedentes financeiros: que se trate de um processo aberto ou de registros na ZEK (central suíça de pedidos de crédito), os bancos estudam sistemáticamente a situação de cada requerente. Logo, é impossível obter um crédito na Suíça caso esteja sendo processado. Além disso, os seus registros na ZEK podem prejudicar o seu dossiê de pedido durante vários anos.
  • Situação profissional: um atestado de salário regular deve ser apresentado pelo requerente. Logo, é preciso estar trabalhando há no mínimo 3 meses com um mesmo empregador (às vezes mínimo 6 meses, caso tenha um visto B). Nesta mesma lógica, as pessoas desempregadas não podem obter um empréstimo ao consumo por vias legais.
  • Situação pessoal: uma situação pessoal delicada também pode levar à rejeição de um pedido de crédito privado. Por exemplo, pessoas em baixa por doença desde mais de um mês não poderão obter um crédito. Outro exemplo: extrangeiros com visto L tampouco poderão obter um crédito.

Melhorar as chances de ter o seu crédito aprovado

Mesmo que o estudo de um pedido de crédito possa parecer, a primeira vista, algo incontornável, é possível melhorar significativamente suas chances de ter o seu pedido de crédito aprovado: fala-se então de optimização do dossiê. Para tanto, o mais recomendado a se fazer é contactar uma agência de crédito como a Empréstimo.ch, que saberá analisar a sua situação, optimizar o seu dossiê e desocupá-lo das tarefas administrativas. Em geral, os seguintes elementos são os que mais entram em conta na hora de optimizar o seu dossiê:

  • Evitar fazer muitos pedidos de crédito: pois cada pedido é registrado no ZEK, e um acúmulo de pedidos prejudica o seu perfil.
  • Transmitir informações exatas: demasiados esquecimentos ou omissões podem levar não só a trâmites mais demorados, mas também provocam uma perda de confiança.
  • Não esquecer informações importantes: o 13° salário, os bônus, rendas acessórias, pensões, etc. podem melhorar consideravelmente o seu dossiê.

Por que consultar um especialista?

Um especialista, além de aumentar as suas chances de ter o pedido de crédito aprovado, poderá negociar melhores condições contratuais com o banco em questão. Logo, consultar uma agência de crédito é algo incontestávelmente mais vantajoso do que não fazê-lo, pois além de ajudar com a parte administrativa e melhorar o seu crédito, a consulta é gratuita e sem compromisso!

Artigo redigido pela equipe da Prestaflex

Facebooktwitterlinkedinmail

Comments are closed.